Trilha da Costeira de Zimbros

Hoje a aventura é na Trilha da Costeira de Zimbros. Já tinha ouvido falar algumas vezes sobre essa trilha e nas várias praias que nela encontraríamos.

Queríamos ter feito ela antes, mas não tínhamos certeza do seu grau de dificuldade e se sozinhos encontraríamos a entrada.

Nós decidimos que seria mais interessante ir em grupo. E o nosso grupo de trilha resolveu fazer essa trilha justamente quando as minhas irmãs vieram nos visitar, então a ocasião ficou perfeita.

Direções para chegar na trilha

Para chegar nela fomos de carro, pegamos uma carona e descemos na rua Rio Tefé e já entramos na Rua Rio Miranda, essa rua vai dar já no fim da praia de Zimbros.

A trilha fica a direita da praia de Zimbros. É bem fácil chegar até a placa que indica o início.

Dica: Na rua Rio Tefé não tem como estacionar, a rua é uma ladeira e os poucos locais onde seria possível, tem várias placas de proibido. Então a recomendação é deixar o carro na rua rio Piratini.

Detalhes da trilha

Chegando na placa a trilha está bem sinalizada e conseguimos encontrar a entrada facilmente.

Pelo que vimos no mapa existem duas possibilidades de fazer essa trilha a primeira pela praia e a segunda subindo o morro.

Decidimos ir pela praia por dois motivos:

1- Poder ver as praias da Costeira, que são o nosso maior interesse.

2- Por ser um trajeto bem mais tranquilo, sem muitas subidas íngremes.

O início da trilha acontece a partir de um lugar com várias árvores bem espaçadas umas das outras. Ali haviam pessoas acampando (atividade que não é permitida nas praias de Bombinhas). Além dessas pessoas, encontramos outras acampando no decorrer do trajeto, creio que a falta de fiscalização da essa liberdade para as pessoas.

Por ser a maior parte no mesmo nível do mar, ela é boa parte reta e com o caminho bem aberto. Em poucos momentos você passa por um caminho mais fechado ou com mato.

Além de conhecer as praias a ideia era seguir até a cachoeira (muita gente havia dito que já tinha se perdido ali). Mas sinceramente achei bem tranquilo seguir o caminho por duas razões:

1- Havia uma boa quantidade de pessoas fazendo a mesma trilha, então se nos perdêssemos seria fácil encontrar;

2- O caminho está bem sinalizado.

Outras Informações

Fizemos o percurso até a cachoeira e esse trajeto foram 7 km e 800 metros. Levamos cerca de 4 horas para concluir.

A recomendação é tirar um bom tempo para fazer ida e volta com calma, pois o caminho de volta é o mesmo de ida.

Atrativos dessa trilha: Praias e a Cachoeira

Essa região é muito conhecida por ter 10 praias uma colada na outra, além de ter uma Cachoeira. Queríamos ver as 10, mas com o tempo que tínhamos não seria possível, então fomos até onde deu.

  • Cardoso

A praia do Cardoso é a primeira que encontramos na nossa caminhada. Ela tem cerca de 285,5 metros de extensão.

É uma praia fácil de chegar e bem convidativa para um banho. Ela estava deserta, a única coisa que víamos ao longe eram os mariscais.

  • Lagoa Deserta

Agora entendo de onde veio o nome dessa praia. Bem próximo a ela existe uma lagoa e também estava deserta.

Ela tem cerca de 306 metros de extensão. O dia estava bem fechado e assim como a gente muitas pessoas resolveram apenas fazer trilha e não aproveitar as praias.

  • Triste

Essa praia tem 382 metros de extensão. E ela que dá o nome da nossa próxima parada.

Essa praia assim como as outras estava deserta, encontramos apenas com algumas pessoas indo e vindo.

  • Cachoeira da praia triste

Pensamos que seria mais difícil de chegar, por ter pouca sinalização. Mas não foi bem assim, em se tratando de sinalização estava bem fácil.

O que foi difícil eram alguns trechos no mato e uma subida íngreme e cansativa. Nessa parte é necessário atenção, pois o lugar tem alguns lugares bem desnivelados e com alguns buracos fundos.

A cachoeira tem algumas quedas, e quanto mais você vai chegando em outras quedas. Ela em si não é muito volumosa, então não gera um poço de água. A água tem uma coloração mais escura, sinceramente já vimos cachoeiras mais bonitas, como Santa Barbara em Alto Paraíso.

Porém é injusto comparar, pois o forte dessa região são as praias e não as cachoeiras. Foi ali que encontramos um local mais plano e paramos para fazer o nosso lanche.

  • Mirantes

No caminho existem vários pontos abertos que é possível ver toda a baía de Zimbros, a cidade de Governador Celso Ramos e também alguns pontos do Rio Tijucas.

  • Outras praias

Entre as praias maiores haviam as praias menores e que contam para que região tenha 10 praias ao total, porém elas não estão sinalizadas com seus nomes então não sei exatamente por quais passamos. Mas pela minha conta ao total passamos por 7 praias entre grandes e pequenas.

Quer fazer essa mesma trilha? Confere o mapa e os pontos de interesse.

Outras Trilhas que já fizemos

Confere aqui as outras trilhas que já fizemos em Santa Catarina.

Quatro ilhas até o Retiro dos Padres

Praia da Guarda do Embaú e Pinheira – Palhoça

Trilha do Morro do Macaco em Bombinhas – SC

Praia e Trilha da Tainha em Bombinhas

Conhecendo a Praia da Sepultura e a Trilha da Sepultura – Bombinhas – SC

Viu quanto lugar legal, fora do tradicional? Você conhece também cantinhos escondidos na sua região? Compartilha com a gente.

Recomendações

Para quem quer fazer trilha é importante fique atento:

  • Vá com roupas leves, porém recomendo calça e blusas de manga, pois o mato em alguns pontos é bem fechado e podem haver mosquitos;
  • Leve água e um lanche, pois a trilha é longa, mais de 4 horas ida e volta se você for só até a Cachoeira, se for até a praia Vermelha serão mais horas;
  • Tire uma manhã ou tarde ´para esse passeio;
  • Se for a primeira vez, melhor ir com alguém que conheça o caminho, principalmente se quiser ir até as piscinas naturais, pois ali não tem sinalização;
  • Verifique seu nível de condicionamento físico é compatível com a trilha.
  • Evite fazer trilhas quando estiver chovendo ou quente demais.
Seguro Viagem Geral 1

Você também pode gostar…

Aventuras ao Ar Livre em Urubici

Aventuras ao Ar Livre em Urubici

Descubra as melhores aventuras ao ar livre em Urubici! Trilhas, cachoeiras, escalada, passeios a cavalo e muito mais. Explore a natureza da Serra Catarinense.

A Melhor Época para Visitar Urubici

A Melhor Época para Visitar Urubici

Saiba qual é a melhor época para visitar Urubici e aproveite ao máximo suas atrações. Verão, outono, inverno ou primavera – descubra o que fazer em cada estação!

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *